Histórico e Resumo

Histórico

Foi no ano de 2004, em resposta ao  democrático  processo  de consulta do DEMU/IPHAN que o NOPH- Núcleo de Orientação e Pesquisa Histórica  e o Ecomuseu  do Quarteirão Cultural do Matadouro começaram  se mobilizar em Santa Cruz, ao observar que os processos museológicos comunitários ainda  não estavam representativamente contemplados  na proposta de criação  do  Conselho Gestor  do SBM – Sistema Brasileiro de Museus.

Após uma pesquisa com inúmeros museólogos e  gestores de museus em diferentes partes do Brasil e sua conseqüente concordância,  uma Carta  ao IPHAN  foi enviada com  os comentários  solicitados e atendida com a inclusão de uma vaga, assento e voz de uma entidade de âmbito nacional  que congregasse os interesses  dos processos museológicos comunitários, o que demonstrou a sensibilidade  e o propósito de inclusão dos ecomuseus, museus comunitários e processos similares no Sistema a ser criado.

A conquista dessa vaga abriu um amplo campo de participações  cada vez mais intensas desses projetos,  alguns já consolidados, outros em gestação, até que no III EIEMC – III Encontro Internacional de Ecomuseus e Museus Comunitários/ X Atelier Internacional do MINOM, em setembro de 2004, em Santa Cruz, Rio de Janeiro, realiza-se a Assembléia Geral Extraordinária , divulgada no programa do evento, que fundou a ABREMC – Associação Brasileira de Ecomuseus e Museus Comunitários e designou uma Comissão de 10 membros para discutir  o Estatuto da nova organização. Estavam lançadas as bases da ABREMC.

Durante dois anos, 2005  e 2006, o Estatuto foi construído, a partir de um esboço apresentado  pelo NOPH, enriquecido  com contribuições  de museólogos, pedagogos e outros profissionais de museus  e  de áreas afins , os quais, em uma lista de discussão virtual, chegaram ao  texto final que foi aprovado na AGO de 31 de maio de 2006. Nessa mesma AGO, foi eleita  a 1ª. Diretoria da ABREMC, para a gestão 2006/2009.

Historicamente, portanto, a partir desses movimentos, a ABREMC  passou a  participar das reuniões do Conselho Gestor do SBM , na vaga dos Ecomuseus e Museus Comunitários, através dos  delegados Odalice Miranda Priosti (membro titular desde sua criação) e Patrícia Maria Berg de Oliveira Trindade (suplente), tendo participado, entre muitas ações,  da elaboração do Estatuto dos Museus, configurando-se como a representação de  uma rede de  processos museológicos comunitários  no âmbito da museologia  brasileira.

Carta ao IPHAN


Resumo

A ABREMC – Associação Brasileira de Ecomuseus  Museus Comunitários foi fundada em Santa Cruz, Rio de Janeiro, RJ, no dia 15 de setembro de 2004, durante o III EIEMC ( III Encontro Internacional de Ecomuseus e  Museus Comunitários e X Atelier Internacional do MINOM. É uma associação civil, sem fins lucrativos e tem por finalidade fomentar a criação, cooperação e divulgação de ecomuseus e museus comunitários, a formação de uma rede nacional de solidariedades e trocas de experiências entre os participantes e simpatizantes de processos museológicos comunitários, além de promover a interlocução com as demais tipologias de museus e instituições culturais e reivindicar, junto aos poderes públicos, em todas as esferas de governo,  a escuta e a  representação desses processos, consolidados ou em fase de gestação, nas discussões e fóruns  da comunidade museológica brasileira.

Com Estatuto próprio e sede  em Santa Cruz, no Rio de Janeiro, está registrada no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas sob no. 09.262.432/0001-45 , de 04/12/2007 , e ocupa vaga de representação dos ecomuseus e museus comunitários no Conselho Gestor do Sistema Brasileiro de Museus, desde a sua criação no Ministério da Cultura.


ABREMC - Associação Brasileira de Ecomuseus e Museus Comunitários
Sede provisória: Centro Cultural Municipal de Santa Cruz Dr. Antônio Nicolau Jorge- Rua das Palmeiras Imperiais, s/nº
Santa Cruz - Rio de Janeiro - RJ - 23550-020- Tel.: (21) 33951489 - E-Mail: abremc@br.inter.net


- design by personal system - 2008 -